<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5636482\x26blogName\x3dAs+Coisas+Tal+Como+S%C3%A3o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/\x26vt\x3d-1470493087469466946', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sexta-feira, novembro 24, 2006

Nunca esquecer...



De prestar tributo às grandes bandas!

domingo, novembro 12, 2006

Correr de ou correr para?


Faz parte da nossa vida ter objectivos. Objectivos esses que lutamos para atingir. A problemática de tudo isto pode residir no facto que nos motiva a atingi-los. O que queremos verdadeiramente? Correr atrás de alguma coisa em concreto, porque a queremos verdadeiramente? Ou correr atrás de qualquer coisa apenas para fugirmos de uma outra? O acerto na nossa escolha está dependente da resposta a estas perguntas. Por exemplo: há quem queira ficar com qualquer pessoa, apenas por medo de ficar só. E há quem procure constantemente uma pessoa que realmente lhe traga um bem estar e uma sensação de completar, como mais ninguém, ficando só até que isso chegue, sem temer o que daí vem. Outro exemplo: há quem queira incessantemente uma oportunidade de fugir à pobreza, e há quem seja pobre e queira uma oportunidade de fazer algo de útil e interessante, porque isso o vai realizar como pessoa, ainda que tenha como consequência desse acto, o ganho de bastante dinheiro.

O que nos motiva é extremamente importante para sabermos qual será o valor que vamos dar às coisas caso as conquistemos. Fazer uma determinada opção, por medo que uma certa realidade que existe em nós se mantenha por muito tempo, ou corra o risco de acontecer, é uma péssima escolha e uma ilusão, porque logo esse determinada opção vai ser uma realidade que vamos querer evitar para atingir uma outra, porque já não é suficiente. O patamar mais baixo já foi ultrapassado e por aí fora seguimos. Ao mesmo tempo não damos o verdadeiro valor às coisas que se conseguem. Escolhendo objectivos atrás dos quais queremos correr, porque realmente os queremos, independentemente do que temos na nossa vida ou possa ocorrer, é o mais correcto, pois só assim poderemos dar o devido valor quando conquistamos as coisas, e conseguimos sentir-nos realizados com essa conquista. Com a primeira alternativa, nunca nos sentimos suficientemente realizados. Pelo contrário, vamos sempre continuar a fugir de qualquer coisa. Hoje fugimos da solidão, amanhã fugimos da pessoa com quem estamos. Hoje fugimos da pobreza, amanhã fugimos do trabalho que temos. E por aí vai. Convém sabermos aquilo que queremos ter e não dar prioridade ao que não queremos ter.

quarta-feira, novembro 01, 2006

Brilhante



Para os fãs da Floribella!