<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5636482\x26blogName\x3dAs+Coisas+Tal+Como+S%C3%A3o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/\x26vt\x3d-1470493087469466946', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sábado, abril 09, 2005

Fal(h)as tu, ou fal(h)o eu

Vou contar a história de um casal que sempre que começa a estar em alta, cai vertiginosamente, e que sempre que está praticamente acabado, ressuscita do mundo dos mortos e tem uma ascenção fantástica! Ela quer ir progredindo devagar, devagarinho... ele quer atar-lhe um bife às calças, e soltar um doberman, a ver se ela corre mais depressa. O objectivo de ambos é o mesmo.
Têm muito em comum. Mas como ele lhe ata o tal bife e ela depois não consegue correr mais rápido do que o doberman, começa a cair... e quando o doberman se entretem com o bife, ela começa a andar devagarinho, e aí é ele que já lá está à frente e começa a cair. Passam a vida nisto! Raramente existe um meio termo. Perguntam-se constantemente: "Porquê? Não te consigo deixar porquê? Já fiz de tudo! Já tentei de tudo" e acontece que já fizeram e tentaram de tudo mesmo, mas... certas coisas, nunca se conseguem apagar, quando têm que ser assim.
Como já disse, têm muitas afinidades e muito em comum, mas... em raras coisas são o oposto um do outro! Coisas importantes? Sim, são opostos em 1 ou 2 coisas importantes mas... são iguais em milhares de outras coisas importantes e entendem-se às mil maravilhas! Quando estão em ascenção, começam a cair... quando estão mesmo, mesmo ja a cair no abismo, de repente lá surge, milagrosamente, aquele galho de árvore que permite que eles se agarrem só com dois dedinhos, depois começam a escorregar, escorregar, até que, subitamente, lá conseguem arranjar aquelas forças sabe-se lá de onde, e agarram o galho com uma mão, depois com a outra, depois sobem e salvam-se e lá vão eles pela montanha acima novamente, lado a lado.
Daqui a nada, andam há 2 anos nisto, e mesmo assim não só não desistem, como não querem desistir! Porquê? Porque se amam e porque sabem que vão acabar juntos! Sabem que em certos pontos são o oposto um do outro, mas se calhar funcionam como aquele princípio matemático que é "menos com menos, dá mais". E assim, aos poucos vão ganhando mais afinidades ainda (experiências em comum), e mais juntos e próximos se tornam e... cada vez conseguem menos viver um sem o outro. E... sem querer, tornam-se mais unha com carne, e menos se separam e mais se amam! Incoerente? Pode parecer, mas só eles entendem o quanto se amam, e o quanto se querem. Falhas tu, ou falho eu... mas... assim vão eles rumo ao seu sucesso, e objectivo! É assim o amor... Não tem forma pré-definida para amar, mas permite que com os erros e falhas de um, o outro aprenda, e vice-versa, e juntos construam com os erros, pontos em comum, e mais unidos e juntos ficam!


"Olhámo-nos um dia, e cada um de nós sonhou que achara, o par que a alma e a carne lhe pedia"