<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5636482\x26blogName\x3dAs+Coisas+Tal+Como+S%C3%A3o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/\x26vt\x3d-1470493087469466946', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

domingo, outubro 24, 2004

Neruda....

O texto que se segue é do Pablo Neruda, mas concordo com ele em tudo! Leiam com atenção e meditem sobre este texto:


"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo. Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar. Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece. Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru. Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto sobre o branco e os pontos sobre os ”is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos. Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, seu amor, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos. Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante. Morre lentamente quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.
Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o simples fato de respírar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade. Estejamos sempre vivos"

domingo, outubro 17, 2004

Despertar da Mente (parte 2)

Já havia feito um post há uns meses, com o título deste filme no qual recomendava que vissem este filme. Na altura recomendei-o, horas depois de o ter visto sozinho, num cinema perto de mim. Porém, agora que ficou disponível em DVD, nem pensei duas vezes em alugá-lo e gravá-lo. O filme pode à partida remeter para a ideia de ser um filme de comédia, ou pelo menos pouco atractivo do ponto de vista da história do mesmo, já que conta com um actor que só fez comédias até hoje (Jim Carrey), e com uma actriz que o seu melhorzinho até hoje foi em Titanic (Kate Winslet). Mas conta ainda com Elijah Wood, Kirsten Dunst e Mark Ruffalo, os 3 conhecidos do público em geral.
O que me maravilha neste filme, é em 1º lugar a mensagem que pretende passar, e em 2º ver Jim Carrey a encaixar num papel que não o de "mais uma comédia". É um filme dramático, e romântico, e com uma história fantástica. Toda a história se passa à volta de um casal que dados os problemas e turbulências pelas quais passa, decidem fazer um tratamento moderno que consiste em apagar da memória certos momentos infelizes, tristes, e pessoas também. Ora, isso dá um jeitaço a todos aqueles que querem esquecer a pessoa com quem se relacionam, amam, mas por qualquer razão os faz sofrer (seja de forma consciente ou inconsciente). Começa por ser Kate Winslet a fazê-lo, passando a desconhecer que Jim Carrey alguma vez existira na sua vida e de que forma existira. Quando este descobre o que ela fez, pretende fazer o mesmo para pôr termo ao seu sofrimento. Mas as coisas não correm bem, pois apesar de toda a tristeza e infelicidade porque passaram, Jim Carrey pretende manter os momentos bons e maravilhosos que passou com ela, e tenta salvá-los, acabando por dificultar um pouco o "tratamento" a que se dispôs. Ela acabou apagada da sua mente mas... no dia seguinte a tê-la esquecido, o destino (personificado no filme através de uma mensagem), acabou por os colocar juntos de novo e permitir que se conhecessem pela segunda vez (o que para eles naquele instante acabava por ser a 1ª vez), e que se apaixonassem novamente.
Sobretudo, o que este filme pretende demonstrar é que... por mais que tentemos esquecer os momentos maus, e o sofrimento que por vezes passamos, quando o amor é sincero e verdadeiro, tem que passar por todas aquelas coisas, e por mais que nos tentemos iludir quanto a esquecermo-nos de alguém que amamos, isso nunca será possível, pois a vida e o destino tratarão de nos colocar no caminho daquela pessoa novamente. Mais tarde ou mais cedo. Custe o que custar. Acabamos por voltar à pessoa que verdadeiramente amamos. Momentos maus e momentos bons, todos temos na vida, mas... o AMOR supera tudo isso, e permite que acabemos sempre por aprender com os momentos maus, para que no momento a seguir possamos fazer diferente, e converter um possível momento mau, num momento bom! Faz tudo parte da nossa aprendizagem. Apenas não ignoremos o destino e a nossa verdadeira natureza e essência! Para quê rejeitar o Amor, quando ele existe? Para quê ignorar o que sentimos? Devemos aproveitar as coisas ao máximo enquanto cá estamos. E não podemos tentar esquecer o que jamais vamos esquecer, ou evitar as coisas com as quais nos vamos deparar mais tarde ou mais cedo.
Como podem ver, é um filme que agora vou ver vezes sem conta. Um filme fantástico que sem dúvida transmite um pouco de mim, e de cada um de vocês que vão ler este post. Aproveitem, vejam-no e em vez de fugirem ao destino, vivam-no!

segunda-feira, outubro 11, 2004

O Amor tudo vence!

O Amor quando é verdadeiro... tudo vence, tudo ultrapassa!

quarta-feira, outubro 06, 2004

Dois conselhos (pedidos)

"More than words is all you have to do to make it real"

"A little less conversation, a little more action please"

sábado, outubro 02, 2004

Quase...

O texto que se segue não é da minha autoria, é sim de Luís Fernando Veríssimo, escritor brasileiro. Acho que o seu conteúdo é a tradução das coisas como elas são, quanto ao tema "quase", "morno", etc... Espero conseguir encorajar muita gente! E fortalecer muitos sentimentos e ideias, com a exposição deste texto.


"Ainda pior que a convicção do não, é a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase!
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas ideias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna.A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e na frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "bom dia", quase que sussurrados.
Sobra cobardia e falta coragem até para ser feliz.A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor.Mas não são.
Se a virtude estivesse mesmo no meio-termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nubladose o arco-íris em tons de cinza.O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.Para os erros há perdão, para os fracassos, chance, para os amores "impossíveis", tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando...Fazendo que planejando...Vivendo que esperando...Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu."


É preciso ter calma, dar tempo e investir em nós, e não nos deixarmos levar pela dúvida, pela descrença, pela cobardia! Há que ter coragem para a vida e esperar... mas esperar sempre com a certeza que tudo vai dar certo! Até que dê certo... vamos "fazendo, vivendo, realizando" e dar-nos as hipóteses de sermos felizes!

sexta-feira, outubro 01, 2004

Sonha...

O sorriso!
Segure-o, não o deixe ir embora, agarre-o!
Quem você ama?
Guarde dentro de um porta-jóias, tranque, perca a chave!
Quem você ama é a maior jóia que você possui, a mais valiosa.
Conserve a vontade de viver, pois não se chega a parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.
Persiga um sonho, mas não o deixe viver sozinho.
Alimente a sua alma com amor, cure as suas feridas com carinho.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Abasteça o seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague o seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-as.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

(Autor desconhecido)


"Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais é nada"
(Fernando Pessoa)



Façamos como o Fernando Pessoa diz: circundemo-nos de rosas, amemos, bebamos e calemo-nos! Vivamos o hoje! O presente! O momento! "O aqui e o agora"! O depois? Confiemos o depois ao nosso prazer deste momento! À nossa vontade! Ao nosso coração! Ao nosso amor! Sejamos um só! Nós dois! Como um! Ninguém nos separa! Somos únicos! Invencíveis! Um "teame" campeão!