<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5636482\x26blogName\x3dAs+Coisas+Tal+Como+S%C3%A3o\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://ipsisverbis.blogspot.com/\x26vt\x3d-1470493087469466946', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, setembro 30, 2003

Liberdade...


A palavra Liberdade deriva da palavra latina "libertas", que por sua vez deriva de "liber" (livre) e opõe-se à noção de servidão e escravatura. A essência da liberdade reside, não na liberdade de opiniao ou de expressão, mas na interior, ou seja, na autodeterminação do querer e do agir humanos, independentemente dos factores biológicos, psicológicos ou de padrões sociais de comportamento. Como tal, a liberdade exige simultaneamente a liberdade exterior e a liberdade interior. A liberdade permite-nos ser donos tanto da natureza como das nossas próprias acções. Como ser inteligível e racional que é, o homem é livre, autodetermina a sua vontade. A vontade livre é determinada, independentemente dos impulsos, pela razão. Sartre abordava o conceito de liberdade de uma forma bastante interessante. Como uma escolha. O Homem é essencialmente liberdade porque é projecto, realizando a essência através dessa escolha. A liberdade realiza-se na intersubjectividade e no compromisso com os outros. O Homem livre é aquele que deixou de ser escravo dos preconceitos e das paixões e cuja conduta é esclarecida à luz da razão. Ninguém nasce livre. Tornamo-nos livres. Podemos fazer-nos escravos ou homens livres. Como diz Sartre "O Homem não é outra coisa senão aquilo que ele se faz". Podem tirar-nos o corpo, mas a nossa alma mantém-se. Perdurará sempre! É por aí que começa a nossa verdadeira libertação. E daí influenciar a nossa liberdade exterior. Quantas vezes não temos a nossa alma pronta a explodir, a soltar-se, mas algo do exterior, como por exemplo preconceitos, ou proibições sociais (muitas delas decorrem senão da inveja) nos impede de dar o passo em frente?
Renunciar à liberdade, é renunciar ao que mais qualifica o homem como homem! Para quem renuncia a tudo não há qualquer compensação. Essa renúncia, no entanto, é incompatível com a natureza do homem. Queremos a liberdade pela liberdade e através de cada circunstância particular. E ao querermos a liberdade, descobrimos que a mesma depende inteiramente da liberdade dos outros; e que a liberdade dos outros depende da nossa! Não existem dúvidas que a liberdade como definição do homem não depende de outrém, mas, uma vez que existe a ligação de um compromisso, sou obrigado a querer ao mesmo tempo a minha liberdade e a liberdade dos outros. Tornando-nos livres, libertamos os outros também. De opressões, compromissos, contratos, sujeições. É como que se fossemos (e na realidade somos) um exemplo. Para mudar tudo de errado que existe à nossa volta e que tende a tornar-nos escravos de "algo" ou de alguém! A todos os que a si próprios esconderem a sua liberdade total, não se poderá chamar outra coisa a não ser cobardes. Cobardes por negarem a sua natureza. Por negarem a sua qualidade humana. Por negarem a sua liberdade. Renunciarmos à nossa liberdade, não é beneficiar nem a nós mesmos, nem aos outros. Tornando-nos livres, e tornando os outros livres, colocamos a possibilidade de podermos dar mais ainda do que damos aos outros. Por dar algo vindo de dentro de nós. E ao mesmo tempo damos muito mais a nós. Afinal voltamos à nossa essência original. A nossa alma carece de liberdade. Não podemos ser cobardes, nem desistir nunca da sua essência! Nada justifica abdicarmos da nossa liberdade. Nada! Vamos lutar por ela e com isso tornarmo-nos mais felizes e de igual modo, aos outros! Parece complicado, mas não é! Basta lutarmos pela nossa liberdade. Muitas vezes contra tudo e todos. Deixarmos de ser cobardes, respirar fundo e ir em frente!

sábado, setembro 20, 2003

Para todos...

Remember me with happiness and laughings,
Because that's how I want to be remembered
If you want to remember me with tears and sadness
Then I prefere you don't remember me at all

Para todos os que gostam de mim!

sexta-feira, setembro 19, 2003

Casa Pia (2)

Pretendo apenas dizer que as perguntas com que eu decidi abordar o tema Casa Pia, como muitos devem calcular não são nenhuma delas da minha autoria. Enviaram-mas por mail e eu achei uma forma interessante de abordar o tema. Mas, nenhuma delas é da minha autoria. Apenas as adoptei e colei tal como por exemplo transcrevi a letra da música dos Skank num dos outros posts. Não quis de forma alguma os louros para mim pelas perguntas. Apenas adoptei as perguntas como fazendo minhas as palavras transcritas em cada uma daquelas perguntas que eu recebi através do mail. Parecem-me lógicas, bem pensadas, e por isso as adoptei. "O seu a seu dono". O mérito a quem o merece. Neste caso, segundo consta, o mérito para quem criou as perguntas. Decidi adoptá-las. Acho que todos nós adoptamos expressões, palavras, atitudes de alguém. Eu neste caso adoptei estas perguntas, mas de forma alguma quero ficar reconhecido como autor das mesmas. A quem julgou o mesmo, as minhas desculpas.

quinta-feira, setembro 18, 2003

Casa Pia

Eu sempe me tinha prometido que nunca referiria este problema mais do que presente, da Casa Pia, mas depois de consultar algumas "fontes", eis que me vejo praticamente forçado a colocar no blog 78 perguntas interessantíssimas, para que respondam para vocês mesmos, ou dêem a alguém para responder. A saber...

1- Eurico de Melo é o deputado europeu identificado no Caso do Parque. Chegou a ser assinalado por comportamento pedófilo em Bruxelas pela Interpol. Desapareceu da política por isso. Porque é que Cunha Rodrigues e Laborinho Lúcio abafaram o caso?

2- Porque é que vários prostitutos do Parque Eduardo VII (alguns da Casa Pia) identificaram Paulo Portas e a PJ os ignora?

3- Porque é que se reacende a "ligação" Paulo Portas/Cinha Jardim?

4- Porque é que o Conselho de Ministros manteve completo silêncio até hoje sobre a denúncia do Le Point, reiterada por Rui Araújo na SIC, de que há dois ministros pedófilos no governo?

5- Porque é que Adelino Granja e principalmente Pedro Namora pediram tão insistentemente a demissão do ministro da Saúde?

6- Que ligações existem entre Jorge Coelho e Paulo Portas?

7- Porque é que Jorge Coelho, enquanto ministro da Administração Interna, telefonou às 4 da manhã para o Director Nacional da PSP para obrigar os agente que levaram Paulo Portas para a esquadra a "esquecer" tudo? Os dois agentes surpreenderam Portas no Parque Eduardo VII, ignoraram o seu estatuto de deputado e levaram-no para a esquadra?

8 - Qual o papel da Dr.ª Fátima Galhardas, mulher do ex-director do SIS, Telles Pereira, na escolha da "Casa de Elvas"? Ela é a Delegada do Ministério Público em Elvas e a responsável pela entrega de crianças aos cuidados das amas da Segurança Social. Gertrudes Nunes, dona da "Casa de Elvas", era ama da Segurança Social - que coincidência!

9 - Porque é que há alunos da Casa Pia que não quiseram voltar à PJ para serem interrogados de novo?

10 - Porque é que os interrogatórios feitos por Dias André e Rosa Mota a alunos da Casa Pia não foram gravados em vídeo ou pelo menos em áudio como acontece em qualquer país civilizado? Tiveram medo de registar a violência? Leia-se Barra da Costa, ex-investigador da PJ, no Correio da Manhã de 4 a 8 de Agosto.

11 - Que relações existem entre o inspector Dias André e o Eng.ª Miguel Paes do Amaral com Felícia Cabrita no meio?

12 - Qual o papel da TVI e o Portugal Diário (Media Capital = Paes do Amaral) neste processo?

13 - Que sabe a PJ sobre José Eduardo Moniz enquanto Director de programas da RTP, sua sociedade com Vasco Lourinho em Espanha quando este era correspondente da RTP e com um ex-director da TV Globo, a quem comprava as telenovelas, e que é seu actual sócio com António Parente e Paes do Amaral, no Brasil?

14 - Quem são os jornalistas envolvidos neste complot? Quem são os colaboradores da PJ e quem são os que são pagos? Porque é que Tânia Laranjo só agora descobre que andou a ser enganada pela sua muito credível fonte do Ministério Público?

Porque é que a TVI não consegue ou não pode aprofundar o caso do barco Apollo?

16 - Quem são as figuras públicas que aparecem num vídeo feito a bordo de um iate ao largo da Madeira e que está guardado ou foi destruído pela PJ?

17 - Quem é a sorridente figura pública que arranjava rapazinhos para o embaixador Carlucci, pedófilo tão compulsivo que chegava a ter ataques de fúria quando não o "serviam"?

18 - Porque é que Lisa Albarran era visita regular da Casa Pia e é amiga íntima do célebre "Valquíria", o monitor Paulo César, proxeneta e pedófilo do Colégio Nuno Álvares?

19 - Porque é que Lisa Albarran declarou numa entrevista à revista Ego que "também podia dizer que o Artur engatava rapazinhos... o difícil é provar"?

20 - Porque é que Lisa Albarran escreveu uma carta de conforto a Bibi e o quis ir visitar? Porque é que a direcção da Cadeia não autorizou?

21 - Porque é que JOsé Martins, advogado de Bibi, é o novo advogado de Lisa Albarran?

22 - Porque é que Catalina Pestana afirmou que havia jornalistas e outrras pessoas a pagar a alunos para denunciar, mentindo, certas pessoas e nunca disse quem são esses jornalistas nem os outros que pagavam? E porque é que, de repente, passou a dizer que os alunos não mentem?

23 - Porque é que Dias André e Rosa Mota mostraram fotos de Valente de Oliveira, Narana Coissoró e Mota Amaral a Bibi e a alunos da Casa Pia? Porque é que mudaram para as fotos de José Sócrates e João Soares? E depois só Paulo Pedroso?

24 – Quem não “permitiu” que Ferro Rodrigues fosse preso e constituído arguido tendo esse facto levado à prisão de Paulo Pedroso?

25 – Onde pára o mega-processo contra António Moura Santos (ex-cunhado de Guterres) abafado por Cunha Rodrigues que o entregou a Souto Moura? E outros processos de corrupção que ainda vêm do tempo da Alta Autoridade?

26 – Que ascendente(s) tem João Guerra sobre Souto Moura? Que segredos lhe conhece?

27 – Que segredos de Souto Moura tem Cunha Rodrigues?

28 – Que sabe ou que ligação tem Cunha Rodrigues ao tráfico de órgãos humanos na Casa Pia? (A notícia do Semanário tem fundamento.)

29 – Que segredos unem Cunha Rodrigues a Laborinho Lúcio?

30 – Onde param as fotos “eróticas e pornográficas” de Felícia Cabrita com o Capitão Roby? E que outros telhados de vidro tem ela que a obrigam a “colaborar”?

31 – Que é feito do processo do envio de crianças abusadas da Casa Pia de Lisboa para Angola (1975/76) pela Dr.ª Odete Sá (PCP) que agora é braço direito de Catalina Pestana que até aqui detestava?

32 – Quem é o senhor Meira, Presidente do Casa Pia Atlético Clube e porque é que convidou Demétrio Alves (PCP) para o discurso de abertura do ano lectivo em 2001?

33 – Porque é que Demétrio Alves, que arranjou emprego a Pedro Namora (PCP) na Câmara de Loures, firmou nesse discurso que daí a um ano “esta Casa Pia não existiria”?

34 – Porque é que Catalina Pestana se foi oferecer a Bagão Félix para ser ela a Provedora depois da saída de Luís Rebelo, cortando assim as hipóteses de Demétrio Alves que tinha tudo preparado para o “assalto” com Pedro Namora, Odete Sá e talvez Adelino Granja embora este seja visto como “inferior e tontinho” pelos outros?

35 – Que negócio fez Bibi, o do Benfica, com Demétrio Alves?

36 – Que ilegalidades tem a Quinta do Infantado em Loures, construída em terreno agrícola no tempo de Demétrio Alves?

37 – Quantos quilos de cocaína negoceia por ano Bibi, o do Benfica? Que ligações tem ele na PJ que até lhe escondem o cadastro?

38 – Que ligações tem Demétrio Alves com Pedro Namora? Porque é que o vereador do Turismo (PCP) de Odivelas levou para lá Pedro Namora?

39 – A Maçonaria perdeu controle da Casa Pia para a Opus Dei?

40 – Porque é que o procurador João Guerra perguntou a vários interrogados: você é da Maçonaria?”

41 – Porque é que quis saber se João Soares Louro é da Maçonaria?

42 – Porque é que os casapianos ilustres estão calados? Por exemplo: João Soares Louro (Maçonaria), Maldonado Gonelha (Maçonaria), Videira Barreto (Maçonaria).

43 – Porque é que Videira Barreto vive aterrorizado e não fala, sabendo tudo o que se passava na CPL?

44 – Existe uma “Santa Aliança” dentro da Casa Pia entre os Católicos (Opus Dei ou não) e o PCP?

45 – Existem ligações entre o PCP da Casa Pia e o PCP que está amplamente instalado nas estruturas judiciais?

46 – Porque é que João Guerra está a “eliminar” juizes para que não lhes seja distribuído o processo, utilizando o truque de os ouvir como testemunhas sobre “assuntos laterais” (já lá vão três!) e assim impossibilitando-os legalmente?

47 – Porque nem o CDS/PP nem o PSD têm indiciados de pedofilia?

48 – Porque é que Durão Barroso fez questão em demonstrar tanta confiança em Souto Moura e Jorge Sampaio Chama tão frequentemente o PGR?

49 – Qual o verdadeiro significado das palavras de António Costa para Ferro Rodrigues sobre o PGR, no telefonema entre os dois recentemente divulgado? O que prometeu Souto Moura?

50 – Porque é que o juiz Rui Teixeira andou à procura de alguém que denunciasse Narana Coissoró e não conseguiu?

51 – Porque é que uma funcionária da Casa Pia não diz o que ouviu certa noite, cerca das 9 horas, o Mestre Américo a dizer a umas crianças, numa camarata, obrigando-os a levantarem-se?

52 – O que sabe o Bibi de Adelino Granja e Pedro Namora e não quer confessar porque um casapiano não denuncia os seus irmãos?

53 – Se Bibi transportava elementos do Casa Pia Atlético Clube (presidido pelo Sr. Meira) e da Banda de Música, sempre com requisição, de um Director ou responsável como qualquer motorista, e se ninguém podia sair sem autorização do Director, que o porteiro conferia, quem o autorizava a sair, na carrinha, com alunos para os seus “clientes”?

54 – Se o porteiro tinha que registar 24 horas por dia as saídas e entradas de qualquer veículo (mesmo exterior à Casa Pia)como é que o Bibi podia fugir a esse controle?

55 – Quem foi a senhora toda chique, com ar de “tia” que foi visitar o Bibi a Caxias implorar-lhe para que não falasse do seu grupo?

56 – Quem paga os advogados de Bibi?

57 – Que segredos guarda a meia-irmã de Bibi, Isabel Raposo, na Holanda? De que é que tem medo e que acordo fez com Dias André e Rosa Mota?

58 – Porque é que o proprietário da casa de Cascais de Jorge Ritto é o Director da SIEDM e nenhum jornal explorou o facto? Que sabe Jorge Ritto?

59 – Quem é o guarda prisional, no EPL, informador do SIEDM?

60 – Em que é que ficou o inquérito ao laboratório de análises do Hospital Júlio de Matos?

61 – Porque é que Moita Flores arranjou um encontro de Pedro Namora com Carlos Cruz?

62 – Porque é que aumentaram as “denúncias” de alunos depois da notícia de que o Estado iria indemnizar as “vítimas”?

63 - Porque é que o Dr. Daniel Proença de Carvalho se distanciou de todo o problema? Que amigos dele estão envolvidos?

64 - Quantas "consultas" facturaram Pedro Strecht e a "Casa da Praia" ao longo dos anos e quantos casos de abuso sexual detectou e denunciou? Que se passava de facto em algumas "consultas"? Que responde a isto um jovem que foi internado numa clúnica do Norte? E outros jovens, mesmo exteriores à Casa Pia?

65 - Porque é que Daniel Taborda não foi detido depois de confessar pedófilo em entrevista a Felícia Cabrita?

66 - De que figura muito importante da Comunicação Social de dizia (diz) ele fornecedor de cocaína?

67 - Quanto álcool e que droga foram dados a ingerir a Daniel Taborda para dar a entrevista a Felícia Cabrita?

68 - Porque é que Daniel Taborda meteu baixa do seu emprego na Santa Casa Misericórdia de Lisboa, dirigida pelo CDS/PP?

69 - Porque é que sempre que a mentira começa a perder força aparecem Catalina Pestana ou Pedro Strecht a dizer que há cento e tal vítimas? Desistiram dos surdos-mudos e dos deficientes? Como é que o pedopsiquiatra nunca denunciou nenhum caso em 7 anos e descobre 130 em menos de 6 meses?

70 - Porque é que Dias André foi inspector do caso Mike com as mesmas testemunhas que agora são chave e é agora o inspector do caso Casa Pia? Porque é que durante o caso Mike essas testemunhas nunca falaram da Casa Pia sendo Pedro Strecht o mesmo médico dos dois processos?

71 - Porque é que os informáticos da PJ apagaram parcialmente e depois na totalidade o site www.reporterx.net?

72 - Dr.ª Odete Sá (PCP), Mestre Américo (PCP), Pedro Namora (PCP), Adelino Granja (PCP), Demétrio Alves (PCP). Coincidências? Porque é que Pedro Namora está "arrependido de se ter metido nisto"?

73 - Qual o papel da Opus Dei na luta contra a Maçonaria, pelos vários poderes em geral e em particular dentro da Casa Pia?

74 - Qual a verdadeira razão da viagem de Pedro Namora ao Brasil pago pelo jornal "O Crime" e na companhia do Director deste semanário? Quem é que pretendem enganar anunciando previamente uma investigação que se recomendava discreta para obter resultados? Que estiveram mesmo a fazer por lá numa estadia que até surpreendeu Adelino Granja? E afinal a polícia brasileira nega qualquer ligação de Militão à rede pedófila e de droga, ao contrário do que diz Namora...

75 - Quem é o psiquiatra arranjado pelo advogado José Martins para Bibi? Que medicamentos lhe receitou? Porque é que Bibi foi de novo interrogado durante duas horas, na PJ, 15 dias depois de ser "tratado" pelo novo psiquiatra?

76 – Porque é que as polícias secretas, e não só, se andam a escutar umas às outras e todas escutam o procurador João Guerra, Pedro Namora, Catalina Pestana e o juiz Rui Teixeira?

77 – Qual valor da comissão normalmente dada pelos negociantes americanos de armamento? Porque é que não se fez o requerimento do exército antes do saneamento levado a cabo por Paulo Portas que chegou a interferir para promover o novo Director Geral do Armamento?

78 – Qual é o lobby militar que já tinha compromissos com fornecedores europeus de armamento que dão mais 2,5% de comissão do que os americanos e que agora têm Paulo Portas na mão?


Esta é a única forma com que pretendo abordar o problema Casa Pia. Não pretendo comentar, nem falar sobre sobre isso. Apenas abordar esta realidade, com estas questões. Nada mais.

terça-feira, setembro 09, 2003

Quem corre por gosto não cansa (2)

Muitas vezes, querem forçar-nos a sentir impotência face a todas as coisas à nossa volta, mesmo quando provamos, uma vez que seja, que somos capazes de superar tal tarefa, ou de ajudar a superar. É com base nisso tudo, que nos fazem ver que certas coisas são impossíveis, ou quase impossíveis e incertas. Mas, quando realmente temos a certeza de algo, corremos atrás dessa certeza e por essa certeza, sempre! Demore o tempo que demorar, custe o que custar! Porquê? Porque sabemos que vamos conseguir estar à altura. Sabemos que somos capazes. Sabemos que conseguimos. A nossa certeza, é de facto, uma certeza. Por mais que até nos tentemos contrariar, é improvável e impossível conseguir contrariar uma certeza existente em nós. Uma capacidade e uma potência da nossa parte de poder corresponder. É com base nisso que devemos sempre continuar a crêr e a corresponder ao que crêmos e queremos, pois só assim conseguimos! Lutar até ao último segundo de vida, até à última gota de sangue. Certamente seremos recompensados. É com base nisso tudo que venho aqui colocar um pedacinho de uma música dos Skank, para alguém que me inspira à escrita de muita coisa, e insiste em fazer com que desista, mas que apesar de tudo me faz manter cada vez mais a certeza que há em mim. Aqui vai Skank, Te ver:



Te ver, e não te querer
É improvável é impossível
Te ver, e ter que esquecer
É insuportável é dor incrível

É como mergulhar num rio
E não se molhar
É como não morrer de frio
No gelo polar

É ter o estômago vazio
E não almoçar
É ver o céu se abrir no estio
E não se animar

É como esperar o prato,
E não salivar
Sentir apertar o sapato
E não descalçar

É ver alguém feliz de facto
Sem alguém para amar
É como procurar no mato
Uma estrela do mar

É como não morrer de raiva
Com a Política
Ignorar que a tarde vai
Vadia e mítica

É como ver televisão
E não dormir
Ver um bichano pelo chão
E não dormir

É como não provar o néctar
De um lindo amor
Depois que o Coração detecta
A mais fina flor

segunda-feira, setembro 08, 2003

Saudades de alguém...

Tinha que reservar um espacinho neste meu blog, para alguém de quem tenho muitas saudades e já não vejo há mais de 3 anos. Alguém que infelizmente perdi de uma forma muito estúpida e que posso devê-lo 90% a mim. Se o arrependimento realmente matasse, eu coitadinho, morria quase diariamente. Esta pessoa tem de nome Anabela Rio e conhecia-a há vários anos. Reside sensívelmente na zona de Cascais e andava pelas minhas bandas na altura em que tive oportunidade de a conhecer e me tornar seu amigo. Trabalhava na Bayer, era uma pessoa muito culta, inteligente e interessante. Com ela podia falar de tudo, ser eu mesmo, que ela conseguia sempre acompanhar. Era por isso que sempre fomos tão amigos. Lamentavelmente, e 90% culpa minha, perdi a sua amizade, e ela eclipsou-se por completo, tudo por uma irresponsabilidade minha relativamente a um objecto que não era dela, e que acabou por lhe trazer problemas. Não, não danifiquei nada, mas... atrasei-me na entrega. Provavelmente por puro esquecimento, ou desleixo. Não sei. E como nesse dia, não estava lá muito bom, quando a mesma me cobrou, exigindo mesmo, que fosse buscar determinado objecto, reagi de forma ridícula e bruta e acabei, por orgulho, por não lhe dirigir a palavra, e a mesma (não sei se magoada, se por orgulho), fez o mesmo (é aqui que eu refiro os 10% dela. Se calhar é menos). Tenho tentado imenso... desde há alguns anos... para a tentar encontrar e voltar a manter aquela amizade que me era tão preciosa e verdadeira e ainda hoje tanta falta sinto. Tinha que lhe reservar este espacinho... que é um bocadinho menor do que ela ocupa no meu coração, dada a enorme amizade que nos unia! Um beijo enorme para a Anabela onde quer que ela se encontre.

sexta-feira, setembro 05, 2003

Alma...

Como já havia dito num post anterior... a nossa alma situa-se no espaço interior do hipotálamo. É o chamado também de 3º olho. Normalmente podemos ver na Índia e outros países afins, as pessoas com um género de diamante na zona entre as sobrancelhas. É para localizarem o seu 3º olho. O olho da alma. Nós SOMOS alma. Não podemos dizer "Eu sou o corpo". O corpo funciona como que uma roupa que usamos. Nós costumamos dizer "as minhas calças", "as minhas camisas". Com o corpo é o mesmo: "Os meus cabelos, as minhas pernas, a minha boca". É algo que vestimos para podermos manifestar a nossa alma. Como os jogadores de futebol, que usam o equipamento do seu clube, para dar o seu melhor e jogarem aquilo que sabem. Jogarem o que está neles.
A alma tem 5 qualidades: Paz, felicidade, pureza, amor e conhecimento. Estas 5 qualidades só podem vir ao de cima de a libertarmos. Como libertá-la? Procurando não resistir-lhe. Podemos pensar: "Mas o que eu vou fazer pode ser uma loucura. O que é que vão pensar?" A alma não funciona com os olhos carnais. A alma não precisa nem pode ser influenciada. E às vezes através de algo que julgamos negativo, a alma pode soltar-se, libertar-se e trazer-nos para nós, estas 5 qualidades e vivermos com elas constantemente. Basta não lhe resistir. Lutar contra uma razão que teima em deixar-nos inertes. Um componente importante que trabalha com a alma, é a mente e o intelecto. A mente é como se fosse por onde tudo passa, e o intelecto é o que ajuda a entender tudo o que passa na mente, sendo que depois a alma filtra aquilo que tiver necessidade. É o mesmo que termos um produtor, que produz todo o tipo de produtos lácteos, o comerciante adquire-os com a finalidade de satisfazer as necessidades dos clientes, e o consumidor adquire somente leite, ou somente iogurtes, pois é aquilo que precisa. Os pensamentos podem ser puros e positivos (são os que nos trazem vitalidade), ímpuros e negativos (criados pela razão que teima em contrariar a alma, ainda que no ponto de vista da "pseudo-moral" seja censurado), inúteis e úteis, limitados ou ilimitados (são os ilimitados que furam as barreiras, permitem romper as amarras e nos dão estabilidade interna. Dão-nos noção precisa do que somos). Como obter pensamentos puros, pensamentos da nossa alma? Pensamentos que só nos tornem e façam úteis? A forma de o conseguir é por exemplo através da meditação. A meditação é composta por 4 estágios. O estágio inicial, o da ligação, o da concentração e o da realização. O estágio inicial é aquele que nos permite ter consciência que somos alma. E que a nossa é pura e tudo o que venha dela, ainda que censurado por tudo e todos... é puro e saudável e dá-lhe energia a ela e às outras almas que convivem com ela habitualmente! A fase da ligação ou meditação é aquela a qual nos ligamos à nossa entidade originária. À nossa origem. Quando fazemos a nossa "viagem celestial", ou "astral" e vemos e sentimos todas as nossas origens. Reforçamo-nos e vemos realmente que estamos amarrados e que temos que nos desamarrar urgentemente. A nossa alma está carente de liberdade! Carente de tudo! A 3ª fase é a da concentração. Uma vez tendo chegado à razão de ser da nossa natureza, temos que nos concentrar e aperceber que realmente não há volta a dar. É a nossa origem. É a nossa carência. Temos que nos libertar e ir em frente e não amarrar mais a nossa alma. Isso conduzirá ao desespero. Concentremo-nos na nossa libertação. E a 4ª é a da realização. Aquela em que temos que soltar as amarras que nos prendem, e libertar-nos. Usarmos as nossas armas todas! Aquelas que temos da nossa origem, da nossa base e desamarrar-nos. Soltar-nos. Nem que seja com ajuda de quem tenha outras armas. Aliás, duas almas "pensam" e lutam melhor do que uma. Conforme a nossa acção, assim é a reacção! É pelas nossas acções, ou ausência delas, que construímos tudo à nossa volta e condições para a nossa alma. Quando não conhecemos a Lei da acção ou Lei do Kharma, primeiro culpamos os outros e em 2º revoltamo-nos. Mas como é em função dos nossos actos que as coisas surgem no futuro para nós, temos que ver que os nossos actos é que vão condicionar o nosso futuro e não os outros. Temos que parar, analisar e mudar. Urgentemente! Tudo depende da consciência. Existem 3 tipos de "Kharma" que podemos praticar. O positivo, o negativo e o neutro. O positivo é aquele em que fazemos algo que nada de mal é, e que de futuro nos trará de feedback algo positivo e bom para a nossa vida. O negativo, obviamente que é o oposto. O neutro, é aquele acto que fazendo-o, de futuro não trará nem nada de positivo, nem de negativo. Uma omissão de um acto, ou recusarmo-nos a fazer algo que é positivo, poderá implicar equivalência a um kharma negativo. Ou seja, se não fizermos algo que é positivo e que nos trará benefícios a nós e a todos, da falta desse acto resultará o mesmo que estarmos a fazer algo de negativo e como tal, vamos ter como feedback dessa "omissão", ou falta de "acto", algo de negativo. Vamos continuar eternamente a lutar por algo, e por forças que nunca teremos. Vamos procurar querer algo que não basta querer. Às vezes precisa de um empurrão! De um impulso. De uma outra alma a ajudar a ver. Ajudar a soltar a alma e a tirá-la da amarração em que está e da qual não consegue sair. Ajudar a perceber que entendemos tudo, e que estamos cá para ajudar e a fazer ver. Ajudar a entender que não podemos desistir da nossa origem. Por mais que a lei social mostre que é errado, a lei espiritual demonstra o contrário. É a lei espiritual, a lei estatuída para a nossa nossa, que devemos seguir. A lei da libertação! E com isso vamos conseguir adquirir as 5 qualidades da alma: Paz, amor felicidade, pureza e conhecimento. Libertação! Aceitemos as outras almas que nos despertam, para adquirirmos estas 5 qualidades e com isso praticarmos bons kharmas e podermos influenciar todos à nossa volta.

Telepatia (2)

Ficou por completar a indicação sobre como é que funciona essa telepatia. Não basta somente "pensar" em alguém, "et voilá". Podemos pensar por exemplo nas ligações à internet. Existe um servidor comum a todos os users, e a partir daí eu posso enviar um e-mail a alguém e o mesmo chegar a essa pessoa. Porquê? Porque ambas se encontram ligadas num mesmo servidor. Assim acontece com todos nós. Temos um servidor comum. Esse servidor comum é o apelidado também de 3º céu. Aquele a que não chega a matéria. Aquele através do qual podemos retirar a alma do nosso corpo e viajar até essa dimensão. Podemos isolar o nosso corpo num determinado lugar e atingir um rio de energia. Aproximarmo-nos do ponto central e sentirmos a paz em nós. É esse "servidor" que nos permite enviar ondas positivas para alguém. É esse topo que nos permite contactar uns com os outros. Estarmos com alguém. Enviar sensações a alguém. Como a alma é boa e pura, só pode enviar sensações e ondas boas e puras. Podemo-nos abstrair de tudo, concentrarmo-nos em algo... e inundar esse algo com a nossa presença e com a nossa força. Quando dormimos acontece isso. Na verdade a alma não dorme. O que dorme é a matéria, o corpo. Mas a alma viaja. Volta à sua origem. À outra dimensão que não a terrestre. Viajamos pelo universo. Em busca da nossa purificação. Em busca da nossa sintonia. Através dessas viagens, podemos encontrar-nos com outras almas. Com a alma das pessoas que tanto gostamo e desejamos. Na verdade, somos todos como que "irmãos" na alma. Porque todos descendemos do mesmo ponto. Da mesma origem. Todos temos almas boas, criadas a partir do mesmo centro de energia. Somos imortais, mas devemos dar "rodagem" à nossa alma, e não abafá-la. Senão a mesma ressente! É como que se estivessemos a tentar violar a nossa alma. A violar a nossa origem. Mas a alma é incorruptível. Não pode ser modificada, nem violada. Devemos atender à mesma. Quando ela quer colocar-nos em contacto com alguém, devemos fazê-lo. Devemos enviar ondas e sensações através do "servidor" para quem queremos. A partir daí o servidor trata do resto. Não devemos reter ou tentar impedir-nos de sentir. São os sentidos que nos ajudam a purificar a alma. E a sermos nós mesmos. Não podemos adiar a nossa natureza, a nossa origem, as nossas armas, o nosso eu!

quinta-feira, setembro 04, 2003

Telepatia...

Será possível conseguirmos contactar outras pessoas telepaticamente? Conseguimos transmitir-lhes energias, e conseguimos sentir a angústia ou alegria que sentem? Acredito que sim! Que seja possível fazer isso e muito mais. A partir do momento em que consigamos sentir e "ver" as pessoas, conseguimos, com concentração e com sinceridade transmitir-lhe muita coisa. Por exemplo, conseguimos estar num ponto a sentir se a pessoa está triste ou angustiada e pela concentração e através da nossa alma, podemos transmitir ondas positivas e energias para essa pessoa. Podemos retirar a nossa alma do nosso corpo e enviá-la até onde a pessoa está, para lhe transmitir algo, nem que seja um pensamento positivo, um afecto, qualquer coisa! Quando sentimos as pessoas, recebemos a sua tristeza, a sua alegria, a sua dúvida, tudo! Mesmo distantes conseguimos estar ligados através da alma, que é aquilo a que alguns chamam "telepatia". Devemos sim aproveitar isso para ajudar aquela pessoa que tanto sentimos, e que queremos e desejamos bem. Não devemos transmitir "ondas" que não sejam sentidas por nós, nem sequer algo que venha a prejudicar essa pessoa. Transmitamos o que é positivo, e que é sincero e sentido, por forma a que esse alguém se consiga motivar, e sentir-nos também. Isso é possível, e não são só os "gémeos", ou as "mães" que sentem essas coisas. Nós também sentimos o mesmo por quem sentimos de verdade. Há que acreditar e... praticar!

quarta-feira, setembro 03, 2003

Sentimentos, ausência deles, e "pseudo-ausência" deles!

O que são sentimentos? Como se formam? Sentimentos são pensamentos mais adensados! Formam-se a partir da mente, mas de forma diferente dos pensamentos normais. Os pensamentos formam-se em conjunto com o terceiro olho que nós temos, que é aquele a que se diz ser onde se esconde a alma, no hipotálamo! O interior do hipotálamo é algo que ninguém conseguiu ver, em ocasião alguma, durante a vida de um ser humano. Os especialistas só conseguiram atingir o seu interior, após a morte do ser humano, e observaram um espaço "ôco", vazio, dentro dele. É completamente impossível ver pelo que é composto esse espaço, enquanto o ser humano vive, pois o ser humano falece. Aí nesse espaço é onde se concentra a alma. Não é matéria, mas ocupa um espaço. Não se sabe de que forma. Sabe-se que é através dela que se formam os sentimentos, em conjunto com a mente. A mente elabora vários pensamentos, alguns nem damos conta, e a alma filtra-os por forma a tornar alguns sentimentos, e outros a manter como puros pensamentos. O que chamamos de "coração", "não é mais" do que a nossa mente em trabalho com a alma, mas a alma a trabalhar muito mais do que a mente. A mente absorve tudo, e a alma filtra! Uma vez filtrando, aí sim a alma trabalha com o que "seleccionou". É assim que se formam os nossos sentimentos. Não mandamos neles porquê? Porque a nossa alma sabe o que temos necessidade! A nossa alma é a nossa identidade e sabe o que precisamos. Eis o porquê! Não pode ser a mente a escolher o conteúdo. Isso é um simples adiar da verdade e na nossa essência! Tentar comandar no sentimento é um erro. É como remar contra a maré! Tentar apagar o que foi escrito a tinta chinesa.
Todos nós temos sentimentos. Eles surgem conforme as nossas vivências, conforme a nossa identidade e a nossa natureza! Temos sentimentos por pessoas e afeiçoamo-nos a coisas. Mas todos os temos. O que acontece pode acontecer é que pessoas com tamanha ausência de valores e dada a sua tamanha vulgaridade, acabam por abafar a sua alma, e nem sequer têm sensibilidade para sentir! Mas existem aquelas pessoas que julgam que abafaram os seus sentimentos, que os conseguem vencer ou modificar, que julgam que nem sequer os têm, ou que são insensíveis, mas na verdade eles falam baixinho a toda a hora, a tentar ressurgir. E têm que ressurgir. Não podem ter esta porta vedada. Senão a própria pessoa irá enlouquecer. Tentar rumar contra a maré e não a vencer, enlouquece-nos! Querermos comandar com a mente, o que vai na alma. A identidade da alma! É impossível. Podemos esconder, mas não podemos fugir. Está em nós, somos nós. As pessoas com "pseudo-ausência" de sentimentos, querem crêr à força toda que não os têm, e querem piamente agir como se não os tivessem. No entanto, em vez de lutarem contra a maré... devem dar ouvidor à mente e não se sentirem mais culpadas pelo que é a sua natureza! A nossa natureza não somos nós que a criamos. Ela já está com as suas bases desde que nascemos, ou anteriormente. Cabe-nos a nós geri-la. Mas nunca negá-la nem anulá-la. A nossa alma coloca-nos em meios adversos a ela, para que sobrevivamos. Para que mostremos quem realmente somos, ou então nos tentemos render e submeter a uma razão que não passa de um conjunto de "pseudo-regras" sociais, que a todo o custo nos tenta anular e viver à base de "instruções e ordens", que ninguém sabe concretamente qual a base das mesmas, nem porque devem ser seguidas! Sermos nós mesmos e darmos ouvidos aos nossos sentimentos e ao que passa na nossa alma, é estarmos vivos. Darmos razão à nossa alma é não nos sentirmos culpados, de algo que à partida pensamos ser. É a nossa marca! O meu sangue é vermelho, e não tenho que ter vergonha porque a maioria das pessoas o têm azul ou verde! O meu cabelo é a minha marca! A minha forma de vestir idém. E a minha alma é a minha identidade. É o que torna tudo possível! Possível sonhar! Possível viver! Possível que eu exista. Não podemos anular a nossa alma, pois isso só piora tudo à nossa volta. Tudo o que fazemos não é anular a alma. É anular o nosso nível de "sanidade". É o mesmo que nos colocarem com uma colher de chá a tentar escavar no aço. Não faço um buraquinho mínimo sequer. Quem se submete a regras "pseudo-sociais" perde a sua sanidade. Prende-se a algo que não tem razão de ser. Tenta prender a sua natureza, mas ela lá dentro ruge como um leão desesperado com fome. Fome de viver! Fome de ser! Não podemos negar... os sentimentos estão em nós. Não os neguemos. Fazem parte da nossa alma! De nós mesmos! Vivamos, sintamos e façamo-nos felizes e aos outros idém, sendo nós mesmos e não nos sentirmos culpados por algo que é só nosso! Darmos razão à nossa alma é darmos razão à vida, é sentirmo-nos inocentes por algo que realmente não temos culpa! Não temos culpa da nossa natureza! Somos nós! Orgulhemo-nos dela!

Quem corre por gosto não cansa...

... já diz o ditado! E cantavam também as Doce no seu "Amanhã de Manhã", que "quem ama por gosto não cansa". Pois bem, hoje falo de "provas de resistência". Não falo de coisas à toa. Recuso-me escrever neste blog por obrigação, ou porque fica bonito. Daí que tenha decidido hoje escrever sobre provas de resistência. Até podia referir "Testes de Cooper", 5.000 metros, 10.000 metros, meia maratona, maratona, corta mato... eu sei lá! Uma infinidade de provas de resistência que existem por aí. Nós sem darmos conta, participamos nelas ao longo da nossa vida! Não... não sentem os músculos doridos. Não, nenhum de nós se precisa inscrever numa prova e desatar a correr por aí fora, para participar em provas de resistência, nem tão pouco me vou referir às provas que se faziam em Educação Física, na altura em que estudavamos. Nada disso. Mas podemos equiparar essas provas a nós mesmos ao longo da vida. Por exemplo, sonhos, ambições, etc. Há quem lute a vida toda em busca de algo, ou de alguém, e para isso faz 2, 3, 4 Maratonas... sempre com a mesma motivação. Por vezes, não vê um único sinal... não vê nada, mas a motivação continua lá. Sempre a lutar pelo que tanto ambiciona e com tanta certeza acredita que é o que quer. No entanto, há existem ainda aqueles que mal começam a correr, nem os 100 metros conseguem fazer. Mal começam, dá logo uma dor na perna, uma dor no pé, e desistem. Ou à medida que correm, vão desacelerando, desacelerando, até que param. Param, baixam a cabeça, inclinam-se com as mãos sobre a cintura, até que se vergam de cansaço. Reparem, quando os corredores se aproximam da meta. Os rostos deles a lutar pelo 1º lugar. Os olhos de "fome", "sede", para conseguir aquilo porque tanto correram. Repare-se num estudante no último ano de curso. Até faz as cadeiras com outra motivação. Acontece assim com muitos de nós. Quem realmente corre por gosto, não cansa. Começa do princípio, e quanto mais se aproxima do seu objectivo, quando deveria estar cansado por tanto correr... parece que mais força ganha, e mais fácil se torna tudo! Há que ter firmeza pelo que se corre. Eu sempre disse para mim, e digo que se fosse atleta, não correria para "a melhor classificação POSSÍVEL". Não jogaria numa equipa de futebol, que jogasse para o 0-0. Não é a melhor classificação possível, nem o 0-0 que me dão gozo. É a vitória. É o desejo de ter algo conquistado. De saber que dei tudo o que posso e sei, e consegui tanto aquilo que queria! Se no fim falhar, paciência. Mas ao menos entrego tudo o que tenho, dou o máximo e corro e jogo e faço tudo com o maior gosto possível, porque tenho um sonho! Um desejo! Uma ambição! E sem eles não posso viver!
No lado oposto, e voltando a todos aqueles que desistem logo ao princípio, pois não vêem se calhar motivação em correr, ou em lutar por alguma coisa, existe uma forma de incentivar. Eu dou um exemplo. Actual e típicamente a mulher é vista como dona de casa, e como cabendo apenas a ela a limpeza, cozinha, etc. Isto aos olhos da maior parte das pessoas. Mas não se pode negar, que se passarmos o fardo todo para as costas de uma mulher, ela fica apavorada. O pior é que muitas fazem. Mas só de pensar "lavar loiça? pintar? cozinhar? passar a ferro? aspirar? esfregar o chão? AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH". Ela desespera. E ainda que faça as coisas, não chega a fazer os 100 metros sequer. Agora pergunto: como motivar alguém desmotivado? Através do nosso exemplo e do trabalho em equipa! Se o marido chegar e disser "não és tu a dona de casa. Não é a ti que cabem as tarefas. É a nós dois. Dividimos a meias, ou da forma que for possível. Se conseguir, faço mais que tu. Se fores tu, fazes mais que eu". Façam este teste. Certamente os dois encontram motivação numa tarefa que não é agradável, e os dois juntos conseguem desenvencilhar-se de tudo aquilo. Agora quanto à corrida! Quem não consegue fazer sequer 100 metros... o que é que aquele que já está lá no fim da Maratona a lambuzar-se pela medalha de ouro, pode fazer? Volta atrás... e diz "vamos correr devagarinho, na desportiva, lado a lado. Isso deixa-me mais feliz do que medalhas". Acreditem, eu já fiz isto... e resultou! E aquela pessoa que não avançava sequer 100 metros que estoirava-se toda... chegou ao fim, corria... até corria ao pé cochinho, ria, brincava. Porquê? Porque tinha um apoio! Tinha uma ajuda! Tinha alguém do lado dela, a mostrar-lhe que às vezes não são as medalhas que são tudo. Não é chegar rápido que interessa! É chegar bem! Na vida é a mesma coisa. Se estamos a estudar, por exemplo... e acontece que alguém diz "vou desistir. Vou reprovar. Detesto esta cadeira". Que devemos nós fazer? Ir lá, explicar como nós entendemos as coisas, ajudar a estudar. Isso também já aconteceu comigo! E fiz assim algumas cadeiras! Isto é verídico. Coisas que pensava nunca conseguir ultrapassar... com um apoio consegui! Com alguém que desempenhou trabalho de equipa, eu consegui! E vice-versa! Também já fiz conseguir, em várias coisas! Até em trabalho! Podemos ajudar alguém a finalmente começar a ambicionar algo! A sonhar com algo! E mais do que isso... a correr com gosto, lado a lado com ela, para que juntos cheguem, desportivamente, onde ambos tinham projectado! Não interessa que se chegue rápido! Interessa é que se chegue onde se queria! Desde que esse seja o objectivo. Na nossa vida não precisamos de correr por medalhas. Se assim for, corremos todos sozinhos e ninguém se interessa com ninguém. Não temos tempo limitado. Temos que lutar para chegar onde queremos, seja de que forma for. Mas temos que atingir a meta! Quando corremos por gosto, nunca nos cansamos. Nunca desistimos. Mantemo-nos firmes que temos que atingir certo ponto! Que temos que chegar lá! Temos a certeza em nós! Temos sonhos e objectivos! Quem não gostar de correr... e estiver a fazer fretes... rapidamente se cansa, e isso nota-se! Enquanto não chegamos a tal estado... vamos correndo com o máximo gosto, pelo que queremos. Pelo que nos auto-determinamos, e nada mais nos abate! Nem o cansaço! Nada! Eu corro por gosto e não me canso! Se não gostar de correr... nem sequer saio da linha de partida. Prefiro sair. Mas, felizmente, dou-me ao luxo de correr porque gosto, e não me importo de correr mais devagar, se isso implicar que mais alguém corra também com esse gostinho, e que cheguemos os dois onde determinamos chegar!